RESENHA | Coraline, de Neil Gaiman

19:30

Um dos meus filmes preferidos desde os oito anos, Coraline é aquela história de terror para crianças que dá mais medo que filmes para adultos. E é o tipo de filme que te prende do começo ao fim, e que você assiste mil vezes sem nunca enjoar.
Então, há mais ou menos dois anos estava tentando comprar o livro, mas sempre tinha um na frente da lista. Porém, seis meses atrás decidi que já era a hora de ler e viver a história que me cativava (e apavorava) desde pequena. Mas quando fui comprar não tinha o livro, e sim a versão em quadrinhos, adaptada por P. Craig Russell. E decidi que era esse mesmo que eu ia comprar.
Eu li no começo do mês (teria lido antes se Harry Potter não tivesse virado prioridade nos últimos meses). O livro, por ser quadrinhos, é mais rápido de ler. Com 180 páginas apenas, li em duas horas. E durante esse tempo, não tirei os olhos do papel.
Tudo começa quando Coraline Jones se muda para uma antiga casa que fora dividida em vários apartamentos, alguns habitados por velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome direito, mas encorajam a curiosidade e o instinto de exploração da menina. Numa tarde chuvosa, Coraline consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento "vazio" no quarto andar do velho casarão. E, para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais.
De forma surpreendente, o mundo atrás da porta é mágico e sedutor. Lá, há brinquedos muito melhores e vizinhos que nunca falam o seu nome errado, sem falar de “pais” muito mais atenciosos e uma comida maravilhosa. Porém, Coraline percebe aos poucos que aquele mundo é tão mortal quanto encantador, e que terá de usar toda a sua inteligência se quiser sair de lá.
Aquele livro que pendre do começo ao fim, Coraline é o tipo de terror que é feito para crianças, mas que dá medo até em adultos. E com partes bem parecidas com o filme, eu vivi aquela sensação de quando assisti pela primeira vez: frio na barriga, coração acelerado, pupilas dilatadas (já repararam que a descrição de medo e paixão é igual? Acho que é como dizem: amor é um tipo de medo).
É legal ver a Coraline lutar contra seus próprios horrores, e nos ensinar que, mesmo naqueles momentos em que as dificuldades são muitas, sempre devemos ter coragem.

"Porque quando você tem medo e faz mesmo assim, isso é coragem."

O fato de que não gosto muito é porque o livro é muito pequeno. Você lê em poucos instantes, e por ser rápido assim, você não consegue se apegar aos personagens nem à história. Por isso quero a versão original, pra saber como é a escrita do próprio Neil Gaiman (já que nunca li outro livro dele), e para comparar as versões.
E também pelo fato de eu ter visto o filme primeiro, me decepcionei com o fato do livro não ter o Wybie, ou o fato de não retratarem a boneca igual a Coraline. Mas isso é erro meu. E é exatamente por esse fato que nunca assisto filme antes do ler o livro.
Mas enfim gente, é graphic novel!!! Vale muito a pena ler!



É isso. Espero que tenham gostado e tenham se interessado para ler o livro. Ah, e quem já leu, não esquece de avisar ;)

Gritos,
Emy :O

You Might Also Like

0 comentários