RESENHA | Simplesmente Acontece, de Cecilia Ahern

20:40

Um dos meus livros preferidos, Simplesmente Acontece é daqueles romances que você lê uma vez e quer ler de novo, de novo e de novo. Quando eu comprei, em setembro do ano passado, eu estava em um momento muito difícil da minha vida: estava estudando muito pra poder passar numa prova muito importante (aliás, eu passei!). Mas eu fiquei tão tentada na época que tive que ler mesmo assim, e quando acabei, três dias depois, eu não sabia se sorria ou se chorava, porque o final tinha sido tudo o que eu esperei.
Hoje decidi fazer a resenha porque estava arrumando a estante e dei de cara com o livro, e bateu um calorzinho no coração, aquela sensação de saudade quando você dá de cara com um velho amigo.
E quando isso acontece, eu preciso escrever...
O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.
Simplesmente Acontece é o tipo de livro que simplesmente tudo demora pra acontecer. Com 448 páginas, você permanece o livro inteiro com a crença incontrolável de que o que o quer que o destino preparou para eles acontecerá logo. Mas não, gente. Não se iludam.
Mas vamos pelo começo.
O diferencial desse livro é que ele não é escrito de uma forma tradicional. São páginas e páginas de SMS, e-mails, cartas, cartões e mensagens em site de bate-papos. E eu adorei esse fato. A história começa com Rosie e Alex ainda crianças. E, com o passar das cartas, eles vão crescendo e amadurecendo (escrevendo melhor, também). E é muito interessante ver isso não através de uma narrativa, mas sim através de textos que eles mesmos escreveram.

"Não quero ser uma dessas pessoas de quem as pessoas se esquecem com facilidade, que era tão importante naquela época, tão especial, tão influente e tão querida, e, mesmo assim, anos depois se torna apenas mais um rostinho vago e uma lembrança distante."

 Com o passar do tempo e depois de muitas reviravoltas (e quando digo muitas, são muitas mesmo), começa a ficar claro que eles se gostam. Mas quando um tá solteiro, a outra tá namorando. Quando ele tá namorando, ela tá solteira. E acabam pondo na cabeça que ficar juntos não é o que destino reservou para eles, e isso acaba atrapalhando. Viveram longe, cada um com uma vida artificial, com pessoas artificiais, quando na verdade tudo daria certo se estivessem juntos. E isso é uma lição para a gente, pessoal: não tenham medo de se arriscar, porque às vezes pode ser muito tarde.
Agora, só um fato. SPOILER ALERT. Quem não leu, passe direto. Quem ignorar, foram avisados. Lá vai.
Eles terminam juntos, sim. Mas isso fica claro apenas no último capítulo, na última página para ser mais clara. É tanto que você vai chegando no fim e começa a ficar nervosa achando que "o momento" não vai chegar nunca. E quando chega, eles já têm mais de cinquenta anos.

"Almas gêmeas têm um jeito especial de encontrar o caminho uma para a outra."

Enfim, pessoas. Esse livro é coisa: maravilhoso, e quero muito que todos leiam. Ah, e quem assistiu o filme, só digo uma INFIEL. Acho que um dos filmes mais infiéis que já cheguei a assistir. Mas, não tenho como negar, é um filme maravilhoso, que recomendo (gente, tem o Sam Claflin e a Lily Collins. Tem que ser mara mesmo).


É isso. Até a próxima resenha, que eu ainda não sei de qual livro vai ser :P Espero que tenham gostado e ficado interessados em ler <3

Love,
Emy *-*

You Might Also Like

0 comentários