TOP 5 | Livros que Me Fizeram Chorar

21:56

E aí, minha gente, como vão?
Estou aqui escrevendo, morrendo de sono, precisando estudar (matemática, física e química... sério, não sou de exatas). Devia estar estudando? Sim. Ou pelo menos dormindo? Claro. Mas tô aqui escrevendo, e isso é por vocês. Mereço um abraço.
Hoje decidi fazer um Top 5, porque fazia muito tempo que não postava nenhum, e porque esse que irei fazer hoje descreve exatamente o que estou sentindo nos últimos tempos: tristeza. Mais uma vez, causada pela escola (matemática, física e química... sério, não sou de exatas), mas também com as séries todas acabando a temporada, não tem como não sofrer.
O Top 5: Livros que Me Fizeram Chorar foi a lista mais fácil que já fiz na vida. Porque a maioria dos livros que eu tenho, eu acabo chorando no final, seja porque é triste ou porque acabou. A única coisa que fiz foi pegar essa seleção (que tinha uns cinquenta livros, apenas) e reduzir pra cinco. Foi fácil.
Em ordem decrescente, do livro que me fez marejar os olhos até o que me fez virar a Alice e nadar nas minhas próprias lágrimas.

05. O PEQUENO PRÍNCIPE, de Antoine de Saint-Exupéry
Gosto de pensar que o Principezinho seria a criança que temos em nós, a criança que ainda mantêm as qualidades de uma: curiosidade, sinceridade, esperança. Quando o Aviador acaba sozinho no deserto do Saara, era disso que ele precisava: esperança. E foi como se o Principezinho tivesse aparecido como forma dele se lembrar de quando era criança e tinha isso de sobra.
O Pequeno Príncipe é aquela história que, mesmo depois de anos, nos ensina coisas, principalmente a valorizar as amizades. Porque somos responsáveis por aquilo que cativamos.
Eu eu choro com o final, gente, porque não tem como você ficar "de boas" no final desse livro.

04. O MENINO DO PIJAMA LISTRADO, de John Boyne
Li faz uns três anos, e até hoje não superei. Porque fala de uma amizade surgida da própria inocência, e vivida na pior época. É belo o fato de, no terror em que o mundo passava naquele momento, dois meninos tão diferentes e ainda assim tão parecidos, terem virado "melhores amigos para a vida toda" (quem leu vai entender a referência).

03. QUEM É VOCÊ, ALASCA?, de John Green
Ai meu Deus, lá vem o homem que adora partir nossos hearts e nos deixar na amargura!
Na minha mais sincera opinião, QEVA é o melhor livro do Tio Verde. Por quê? Não sei. Eu apenas acho. Porque, quando o "depois" fica claro, o nosso pulmão não aguenta mais e a gente fica que nem a Hazel: sem conseguir respirar.
É que, quando "tudo" acontece (estou tentando não dar spoiler, mas tá difícil), a gente não sabe como vai ser o desenrolar do livro. Tudo fazia sentido antes (ou pelo menos parecia fazer), mas depois...
Só sei de uma coisa: Alasca Young será para sempre uma lenda <3

02. A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS, de Markus Zusak
Chorei, chorei muito. E até hoje choro só de lembrar.
Um dos meus livros prediletos, The Book Thief é a história que fala sobre família, amizade, guerra e palavras. Palavras que, na época, tinham tanto poder.
Liesel, que começa o livro sem saber ler, conhece a magia das palavras, e são elas que conseguem lhe salvar de um mundo onde tanta catástrofe, tanta dor e tanta violência acontecia. Ela encontrou conforto, paz, nas palavras.
O final me causou tanta dor que chorei por uns dois meses, e até hoje, quando decido ler de novo ou ver o filme, meu coração não aguenta.

01. COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ, de Jojo Moyes
Acho que o livro que mais chorei, e, trouxa do jeito que sou, li o epílogo três vezes pra chorar ainda mais. O livro é lindo, você tem a sensação de que tudo está destinado a uma coisa, pra no final só se dar conta de que você é demente. Nunca confie em si mesmo. É besteira.
Terminei esse livro antes do Natal, no ano passado, e lembro que, depois de ler e reler o epílogo e tudo o mais e chorar por cerca de vinte minutos (sem parar), pensei em nunca mais levantar da cama. Ficar lá com minha dor era muito mais confortável e nem um pouco insano. Aliás, adoraria mandar um beijo pra minha cama e pro meu travesseiro, que foram meus ombros amigos naquela noite.

EXTRA: HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE, de J.K. Rowling
Desculpem-me, mas eu precisava falar desse livro maravilhoso, que acho que nenhum fã superou. E nesse vou dar spoiler, sim!
Chorei o livro inteiro. Chorei quando a Edwiges morreu. Na morte do Dobby. Quando Fred, Lupin e Tonks morreram também. E quase infartei quando morreu o Snape. Mas chorei de verdade, muito, muito mesmo, foi quando acabou.
Porque eu tinha visto Harry crescer; conheci Rony e Hermione; vivi em Hogwarts; subi na vassoura e joguei quadribol; passei pelo cão de três cabeças; entrei na câmara secreta; conheci o prisioneiro de Azkaban; participei do torneio Tribruxo; odiei a Umbridge; vi o Dumbledore morrer; encontrei as horcruxes e lutei contra Voldemort. E estava com o Harry quando a cicatriz dele parou de doer. E foi difícil dar adeus para tudo isso.
"A cicatriz não incomodara Harry nos últimos dezenove anos. Tudo estava bem." (e foi nessa parte que faleci de vez...)

Enfim, é isso. Espero que tenham gostado do Top 5 de hoje, e quero muito que me respondam: e aí, quais livros te fizeram chorar?

Um lencinho,
Emy :'(

You Might Also Like

0 comentários