QUOTE | A Menina que Roubava Livros

19:33

Oi, gente! Quero pedir desculpas (de novo, Emely?). Is it too late now to say sorry? É que nesses dias eu comecei a assistir Friends (sim, eu nunca havia assistido, apesar do interesse). Em pouco mais de 48 horas, assisti as duas primeiras temporadas. E eu não paro de pensar nas outras oito temporadas que me restam... Ai.
Enfim, continuando.
Há tempos que quero fazer esse post, mas, por algum motivo, sempre adiei. Mas hoje mandei ver. Antes que minhas horas livres sejam comprometidas.
Escolhi as melhores frases de um dos meus livros preferidos da vida. A Menina que Roubava Livros, do Markus Zusak, fala de amor, amizade, guerra, esperança e de, acima de tudo, palavras.
Então, aí vão elas, que foram capazes de me encantar e, de alguma forma, me completar.
Espero que gostem.


Eis um pequeno fato: você vai morrer.

É só uma pequena história, na verdade, sobre, entre outras coisas:
* Uma menina
* Alguma palavras
* Um acordeonista
* Uns alemães fanáticos
* Um lutador judeu
* E uma porção de roubos

O ser humano não tem um coração como o meu. O coração humano é uma linha, ao passo que o meu é um círculo, e tenho a capacidade interminável de estar no lugar certo na hora certa. A conseqüência disso é que estou sempre achando seres humanos no que eles têm de melhor e de pior. Vejo sua feiura e sua beleza, e me pergunto como uma mesma coisa pode ser as duas. Mas eles tem uma coisa que eu invejo. Que mais não seja, os humanos têm o bom senso de morrer.

Algumas pessoas passam por sua vida, outras acompanham sua vida até que não lhes seja mais possível, outras estão mais perto do que parecem.

- Papai, eu não tenho olhos!
Hans fez um afago no cabelo da menina. Ela havia caído em sua armadilha.
- Com um sorriso desses - disse Hans Hubermann -, você não precisa de olhos.

Como se dá a alguém um pedaço do céu?

Uma pessoa triste tentando fazer a outra pessoa triste sorrir. Isso se chama amizade. A verdadeira amizade.

Duas palavras gigantescas: sinto muito.

Uma ideia bonita: uma roubava livros. O outro, o céu.

As palavras não foram ditas, mas decididamente estavam lá, em algum ponto.

Lamentou acordar. Tudo desaparecia quando ela estava dormindo.

Mas, afinal, será que é covardia reconhecer o medo?

Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo.

Apesar da ameaça. Sou só garganta.. Não sou violenta. Não sou maldosa. Sou só um resultado.

Ele lhe dera as mais belas páginas da sua vida.

Última nota de sua narradora: os seres humanos me assombram.


Pois é, gente, é isso. Torço para que amem esse livro tanto quanto eu. Ele é especial demais pra ser esquecido na estante. Então, já vou indo. Não esqueçam de comentar, OK? ;)

A ladra de livros,
Emy Meminger 📖

You Might Also Like

0 comentários